Novo livro na sessão “Livros Bacanas”

novembro 18, 2007

Inaugurei a sessão!

Atualizações a cada semana!

O primeiro livro recomendado e comentado está aqui.

Anúncios

O futuro da mídia é?

novembro 13, 2007

Essa foi uma dica do Bruno Brant.

O artigo usa o estudo de caso da Glam e da i-village, dois sites especializados no público feminino, para mostrar qual o futuro da mídia.

Enquanto a i-village adota o modelo tradicional, onde a instituição produz o material midiático e o público consome, a Glam utiliza um modelo em que o público produz e consome o material midiático enquanto a instituição se concentra na “gestão” da rede social, inclusive dividindo seus lucros com os maiores colaboradores.

i-village era a líder absoluta do mercado mas murchou rapidamente depois que a Glam ofereceu seus serviços com o modelo baseado em rede.

Veja o gráfico onde o amarelo é a i-village, o rosa é a Glam, os círculos dentro do círculo grande são áreas de conteúdo (astrologia, culinária, moda e todo resto que as mulheres gostam). O amarelo escuro são as áreas de propriedade e administração exclusiva do site, enquanto o roxo representa os blogs e conteúdos postados por parceiros (no caso da Glam, os parceiros são os próprios usuários).

 

Perceba que a Glam é uma rede de vários sites independentes! Aí estão as chaves de seu sucesso: colaboração em massa, agilidade, interação entre os usuários, colaboração!

Veja o artigo completo –> Glam, the success of the network!

Moral da história: O futuro da mídia é menos relacionada ao produto e mais relacionada à rede!

(…the future of media is less about products and more about networks)


Prosumers FM, o rádio colaborativo

novembro 7, 2007

Hoje, no rádio, o locutor avisava que, caso você não goste da música, é só mandar um msn do celular escrito “odeio“, para evitar que a música toque de novo.

 Se o “produto” da rádio é a seleção e disponibilização de música, esse é um meio de transformar o consumidor em “prosumer” (metade produtor, metade consumidor).

Tá certo, não é igual ao caso da lego (aquele case usado no wikinomics) , mas tem vantagens similares:

– consumidor se sente parte do negócio, promovendo fidelização

– produto (programa da rádio) mais próximo do gosto do cliente

– decisão sobre o produto feito por mass colaboration, ou seja, cada um dá uma pequena contribuição que no final formará o todo!

E mais, isso não poderia ser feito a trinta anos atrás, quando não havia internet, celular, etc. O você imagina o sujeito escrevendo uma carta para o rádio e o locutor checando uma lista de papel com as músicas mais rejeitadas?